sábado, 11 de fevereiro de 2017

A SUFICIÊNCIA DA PALAVRA DE DEUS

Texto: 2 Timóteo 3:16-17

(Este sermão pode ser utilizado por qualquer pessoa, adaptando-o a sua realidade e conhecimento escriturístico)

INTRODUÇÃO
A palavra de Deus é suficiente para direcionar os servos de Deus, ovelhas do Senhor.

I. ORIGEM DAS ESCRITURAS:
a) Elas são inspiradas por Deus
b) Elas foram transmitidas por homens direcionados pelo Espírito Santo

II. A UTILIDADE DAS ESCRITURAS
a) É util para nensinar
b) É util para repreender
c) É util para corrigir
d) É util para educar na justiça

III. PROPÓSITOS DAS ESCRITURAS
a) Que o homem de Deus seja perfeito
b) Que o homem de Deus seja habilitado para toda boa obra

CONCLUSÃO
Portanto, queridos:
As Escrituras são verdadeiras e suficientes para levar o homem a Deus através de sua obervancia e prática das escrituras.

Elas têm origem no trono do Senhor, com a capacidade moldar os servos do Altíssimo, levando-os à perfeição e à habilidade para toda boa obra.

sábado, 14 de janeiro de 2017

DEUS CONTINUA SURPREENDENDO A MEDICINA

Mateus 4:23-24; Tiago 5:14-16

INTRODUÇÃO
As ciências da saúde (a medicina) possuem métodos farmacológicos e não farmacológicos para o tratamento de enfermidades das pessoas.

Dentre as intervenções não farmacológicas estão às espirituais, que, em muitos casos, a medicina não a compreende.

Jesus tinha, basicamente, três áreas de atuação em seu ministério: Ele ensinava nas sinagogas, pregava o evangelho do Reino e curava o povo de todo tipo de enfermidade.

Mas, essa mesma autoridade foi dada a homens na terra para curar, libertar de acordo com a palavra de Deus, conforme explica Tiago no texto que a gente leu.

Os textos que lemos falam desses recursos utilizados por Jesus e pelos apóstolos

VAMOS VER TRÊS MEIOS ESPIRITUAIS UTILIZADO NA CURA?

I. UNÇÃO UTILIZANDO O ÓLEO

a) O uso dos óleos de unção é uma tradição bíblica desde o tempo dos profetas. A unção é a consagração do ungido a Deus, tudo o que se deseja entregar a Ele, seja um novo convertido, um bem adquirido, tudo aquilo que o cristão acredita que é do Senhor ou provém do Seu poder. A unção com óleo pode ser feita em pessoas, templos, bens materiais, e em tudo aquilo que se deseja santificar, curar ou proteger.

A primeira vez que a unção com o óleo aparece na bíblia é de uma ordem de Deus a Moisés para a consagração do templo e de tudo o que havia nele e unção de Arão para o exercício do sacerdócio

b) Segundo a interpretação de versículos bíblicos, a unção com o azeite é também para trazer alegria e felicidade para aquele que crê na Palavra do Senhor e anda por Seus caminhos sem desanimar:

A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado -  Isaías 61:3

c) [A unção com o azeite é administrada em doentes aliada ao poder da oração. A fé é o que salva, esse foi um dos ensinamentos de Jesus. O óleo consagrado com a oração dos que crêem promove a cura pelo poder de Deus:

Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;]

E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados - Tiago 5:14-15

II. IMPOSIÇÃO DE MÃOS SOBRE OS ENFERMOS
a) Impor as mãos é demonstrar comunhão, concordância ou fazer-se participante de algo. Era assim que faziam os sacerdotes com os sacrifícios, quando os ofertantes se identificavam com as vítimas. (Lev 8:14)
b) A imposição de mãos podia significar a consagração de alguém para uma determinada função:

Núm 27:22-23 E fez Moisés como o SENHOR lhe ordenara; porque tomou a Josué, e apresentou-o perante Eleazar, o sacerdote, e perante toda a congregação; E sobre ele impôs as suas mãos, e lhe deu ordens, como o SENHOR falara por intermédio de Moisés.

c) Atos 28:8 E aconteceu estar de cama enfermo de febre e disenteria o pai de Públio, que Paulo foi ver, e, havendo orado, pós as mãos sobre ele, e o curou.

III. ORAÇÃO EM O NOME DE JESUS – Salmo 37:5

a) O nome de Jesus tem poder para fazer impossível
Se você é um homem de fé, uma mulher de fé, Deus pode realizar o impossível na sua vida.
Tem muita gente que apóia sua fé nos milagres, e quando volta a enfermidade volta a perder, a nossa fé não pode estar alicerçada em milagres, ela precisa estar alicerçada em Jesus.

b) O nome de Jesus está acima de todo poder terreno – Fp 2:9-10
Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome, que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, e dos na terra, e daqueles que estão sob a terra” 

[Há um poder inacreditável no nome de Jesus! Seu nome é maior do que qualquer outro nome, é mais poderoso do que qualquer outro nome, e é o único nome que acabará por comando de obediência de todos os povos e todos os principados.

Qual é o seu problema? Qual é o motivo da sua tristeza? O que tem tirado seu sono? O que tem te amedrontado? Saiba que o nome de Jesus está acima disso porque Ele deu Sua vida por nós. Não temos de ser derrotados por qualquer coisa que venha com fúria contra nós, temos o poder que está disponível para nós em nome de Jesus.]

CONCLUSÃO
Amados, falamos que as ciências médicas tem seus métodos farmacológicos para o tratamento das enfermidades das pessoas. Mas também o tratamento não farmacológico, como as intenções espirituais.

Falamos sobre três meios pelos quais há cura na vida das pessoas:
Unção com óleo, imposição de mãos e oração feita no nome de Jesus.
Que Deus abençoe a todos vocês.

Vamos orar!


NOTA
Os textos que estão dentro de [...] foram extraídos de pesquisas realizadas pelo autor

A SUFICIÊNCIA DA PALAVRA DE DEUS

Texto: 2 Timóteo 3:16-17

INTRODUÇÃO
A palavra de Deus é suficiente para direcionar os servos de Deus, ovelhas do Senhor.
Vejamos três pontos fundamentais sobre a Palavra de Deus:

I. ORIGEM DAS ESCRITURAS:
a) Elas são inspiradas por Deus
b) Elas foram transmitidas por homens direcionados pelo Espírito Santo

II. A UTILIDADE DAS ESCRITURAS
a) É util para nensinar
b) É util para repreender
c) É util para corrigir
d) É util para educar na justiça

III. PROPÓSITOS DAS ESCRITURAS
a) Que o homem de Deus seja perfeito
b) Que o homem de Deus seja habilitado para toda boa obra

CONCLUSÃO
Portanto, queridos:
As Escrituras são verdadeiras e suficientes para levar o homem a Deus através de sua observância e prática das escrituras.


Elas têm origem no trono do Senhor, com a capacidade de moldar os servos do Altíssimo, levando-os à perfeição e à habilidade para toda boa obra.

domingo, 24 de julho de 2016

A NECESSÁRIA RENOVAÇÃO ESPIRITUAL NA VIDA DE QUEM É DE DEUS

Josué 5:1-15
Pr. Gomes Silva
INTRODUÇÃO
Depois que passou o Rio Jordão, o povo escolhido de DEUS deveria, agora, passar por uma renovação espiritual. O pacto feito anteriormente com Abraão foi novamente renovado por meio da circuncisão. Tudo agora na nova terra era pura novidade. Isso nos faz lembrar a nova vida que o crente desfruta em CRISTO, através do novo nascimento e Paulo confirma isto, dizendo: "Se alguém está em CRISTO, nova criatura é, as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2 Co 5.17b). (SCR)

I – EM GILGAL, DEUS RENOVA COM ISRAEL O PACTO POR MEIO DA CIRCUNCISÃO – vs 1-9
Na Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã, encontramos esta explicação sobre o significado da circuncisão: "Uma operação no órgão masculino de reprodução”, o que nós chamamos de cirurgia de fimose, mas sem qualquer prejuízo reprodutivo para o homem.

a) A circuncisão dos filhos de Israel (vv. 5-7).
Surge, então, uma pergunta: Por que os filhos de Israel teriam que ser circuncidados?

A partir do versículo 3, as Sagradas Escrituras dizem que, todo o povo que saiu do Egito estava circuncidado, porém esses homens de guerra morreram no deserto por desobediência a Deus. Mas nenhum dos que nasceram no deserto, depois da saída do Egito, havia sido circuncidado. Era, portanto, um novo povo, uma nova nação formada por pessoas que nasceram no deserto e que não tinham sido circuncidadas.

A aliança abraâmica estava vinculada bem de perto ao símbolo da circuncisão, o que era, com efeito, a eliminação da natureza carnal (Gn 17.11) separando a nação israelita para DEUS. A criança, naquela, só recebia o nome no dia da circuncisão (Lc 2.21 - oitavo dia). Para os judeus, a circuncisão é um dos mais importantes dos seus 613 mandamentos. A circuncisão "é interpretada como sinal de aliança ou pacto entre DEUS e a nação de Israel e, por conseguinte, indispensável como sinal característico de que alguém pertence a mesma” (Gn 11.10-14); Ex 12.44-49).

Era um rito de iniciação na família de Deus, representada em Abraão, para que o indivíduo participasse dos privilégios e promessas contidas no concerto, ou pacto celebrado pelo Senhor.

b) O sentido da circuncisão na cultura e na religião.
Em cada cultura ou religião a circuncisão podia ser interpretada com um sentido diferente:
- Seria uma medida higiênica e sanitária (Heródoto).
- Seria um sinal de filiação tribal.
- Seria uma preparação para a vida conjugal (higiene e prevenção de doenças - DST).
- Seria um teste iniciatório da coragem, antes do jovem ser aceito na tribo.
- Seria um meio que santifica as faculdades procriadoras.
O sentido correto, entretanto, é aquele que aprendemos da Bíblia – Aliança entre o homem e DEUS (Batismo nas águas para nós seria o mais próximo).
Nenhum crente neo-testamentário pode ser obrigado a submeter-se a ela (At 15.3-21; cf. GI 23.3).


c) Somente podiam participar da Páscoa os circuncidados - vv. 10-12
A circuncisão e a comemoração da Páscoa marcaram os estágios finais da preparação do povo escolhido para a guerra santa que estava para acontecer na conquista de Canaã cujo povo estava tomado de extremo terror - "os moradores estão desmaiados diante de vós" - era o clamor que se ouvia por toda a parte (Js 2.9,11).
Josué além de habilidoso guerreiro, era sem dúvida um homem verdadeiramente espiritual. Santificou o povo (3.5); circuncidou os varões (5.2-9); finalmente levou o povo a participar da Páscoa (5.10-12). Assim fazendo, foi "revolvido o opróbrio do Egito" (5.9), isto é, a vergonha que levaram por mais de 40 anos como incircuncisos.


d) O sentido espiritual da circuncisão.
Paulo diz em Romanos 4.11 que a circuncisão foi dada a Abraão como "sinal e selo da justiça da fé". Isto ele quer dizer que, a verdadeira circuncisão é a "interior", isto é, "circuncisão a que é do coração, no espírito". Os verdadeiros filhos de Abraão são os circuncisos de coração (Rm 2.25-29; 1 Co 7. 19; Gl 5.2-6), a verdadeira circuncisão somente pode ser efetuada em CRISTO (Fp 3.3; CI 2.11-15). CRISTO foi ministro da circuncisão (Rm 15.8).


APLICAÇÃO
Hoje não é mais necessária a circuncisão, pois ela acontece de forma espiritual a partir do momento que a pessoa nasce da água e do Espírito e entrega a sua vida a Jesus Cristo.

Essa pessoa passa a ser uma nova criatura, santificada e justiçada pelo Senhor para o louvor de sua glória.

Saiu toda sujeira de sua vida, seus pecados foram jogados no mar de esquecimento e passa a ter uma nova identidade, cuja filiação diz que ela agora é FILHA DE DEUS, cidadã do céu.

Saia você daqui nesta noite com o coração circuncidado, transformado e cheio da graça do Deus todo-poderoso, que muda a história de quem o procura.

lI. EM GILGAL, ACONTECE A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA PELOS FILHOS DE ISRAEL – v. 10-12
Até aquele momento em Gilgal, a páscoa só havia sido celebrada duas vezes. Em Êxodo 12 e Número 9:5. E aqui acontece a terceira pela ordem (v. l0). Por muitos anos, através do deserto, o povo não celebrou a Páscoa, talvez pelo fato de não estar circuncidado.

a) A Páscoa relembrava ao povo o sofrimento do cativeiro egípcio e sua grande libertação, por meio do DEUS de seus pais.

b) A Páscoa trazia à memória do povo a significação especial da morte do verdadeiro Cordeiro, ainda por vir, mas presente pela esperança messiânica. Embora a Páscoa seja diferente da Santa Ceia, em alguns pontos apontam para a morte de CRISTO.

- A Páscoa antes - tinha um caráter prospectivo (apontava para a frente)
- A Santa Ceia encontra-se depois ­ tem um caráter retrospectivo (aponta para trás como lembrança - e para frente como esperança: "Anunciais a morte do Senhor até que venha”.

Indiscutivelmente, depois da travessia do Rio Jordão e a celebração da Páscoa, a fé e a confiança do povo foram renovadas nas promessas de DEUS!

Da mesma forma, você pode renovar sua fé, seu temor a Deus, sua dedicação ao Senhor e a sua obra e apoderar-se das promessas do Grande-Eu-Sou.

III- EM GILGAL, A NAÇÃO ELEITA COMEÇA A DESFRUTAR AS BÊNÇÃOS NA NOVA TERRA – v. 11-12
a) Comeram do trigo da terra - (v.11).

No Salmo 78.24, o maná é também chamado de trigo do céu. Aqui, porém o povo tinha de se alimentar do "Trigo da terra", uma vez que já se encontrava no lugar, a terra para onde as bênçãos divinas os aguardavam. Tanto o trigo, como o maná, representam uma só pessoa: a pessoa de CRISTO, em vários aspectos, em sua humilhação (trigo) e exaltação (maná). JESUS comparou a Si mesmo como sendo o alimento espiritual para os seus. Ele disse em Jo 6: Eu Sou:
- "o pão do céu" (v.32);
- "o pão de DEUS" (v.33);
- "o pão da vida" (v.35);
- "o pão vivo" (v.51).
Finalmente, se comparou a Si mesmo como sendo o grão de trigo caído na Terra, em Jo 12.24.

b) Cessou o maná no dia seguinte (v.12).
É interessante observar como DEUS opera. Ele somente fecha uma porta quando abre outra ainda maior na nossa vida (cf. 2 Cr 25.9; SI 84.7; Ap 3.7-8). O maná somente cessou, quando o povo começou a desfrutar do trigo. Isso é glorioso.

O maná é uma figura de CRISTO, pois Ele é o sustento da alma... Estava no deserto, mas não era do deserto. Era o pão do céu, seu sabor não era terrestre. Prefigurava CRISTO na sua exaltação aqui no mundo. Ele disse: "Eu não sou do mundo" (Jo 17.41). O trigo era "da terra". Seu sabor era do lugar onde se encontrava. Era uma figura de CRISTO em sua humilhação", enfrentando todo tipo de afronta e sofrimento para salvador o pecador arrependido. Existem várias outras comparações entre o maná e CRISTO, por exemplo:

- Maná Caía de noite quando alçava o orvalho: CRISTO a luz do mundo - nasceu de noite (ÊX 16.14; Lc 2.1-8).

- Maná Era uma coisa "miúda, redonda". Fala daquele que aos olhos naturais “não tinha parecer nem formosura" (Êx 16.14; Is 53.2).

- Quando os filhos de Israel viram-no, clamaram "man hu?" (que é isto?). Com respeito a JESUS a multidão exclamou: "Quem é este?" (Ex 16.15; Mt 21.10).

- Ninguém colhia de menos, nem demais. CRISTO satisfaz a todos. Porque "CRISTO é tudo em todos" (Ex 16.11 18).

- Cheirava mal quando colhido fora de tempo. Somente os desobedientes colheram o maná fora de tempo (Êx 16. 20). CRISTO e sua Igreja são o bom cheiro suave para os que se salvam, e cheiro de morte para os que se perdem (2 Co 2.14­16). Em Ap 2.17, CRISTO oferece-nos daquilo que está oculto à maioria dos homens. O maná escondido somente para os vencedores.
c) Um guerreiro divino aparece a Josué  (vv.13-15). Temos aqui uma teofania
· Teofania e Cristofania são Termos teológicos para designar as aparições de Cristo antes de ser encarnado.
·  São denominadas aparições visíveis de Deus.
·  É um conceito de cunho teológico que significa a manifestação de Deus em algum lugar, coisa ou pessoa.
Gênesis 22:15-18; 31:11-13. Josué 5:14 ; Juízes 13:18

1. A espada desembainhada indicava provavelmente que o julgamento divino cairia em breve sobre os cananeus

2. O anjo disse para Josué: “Descalça as sandálias dos teus pés”. Isto significa: Desarmar-se de si mesmo para receber as armas de Deus.

Ex. Para sermos fortalecidos pelo Senhor e dele nos revestirmos de todas as suas armaduras é necessário que desçamos ao pó em oração, adoração, meditação na palavra de Deus e uma vida santificada. (Aleluia).

CONCLUSÃO
Portanto, amados irmãos, como vimos nesta noite, a vitória dos israelitas estava condicionada à obediência ao Senhor e a sua palavra.

Deus não apenas cumpriu as promessas que lhes fez no passado, mas assegurou-lhes novas vitórias no futuro.

Se formos submissos ao Senhor e a sua palavra, teremos as mesmas garantias, promessas e vitórias.

_________________________ Apoio bibliográfico:
Josué - Revista CPAD/ano: 2009


Apostila - História do Antigo Testamento - Instituo Teológico Superior de Missões - ITESMI

terça-feira, 12 de abril de 2016

Buscai o Senhor enquanto há tempo

Texto: Isaías 55:6
Pr. Gomes Silva

I. INTRODUÇÃO
Não existe um tempo específico para você buscar o Senhor. O que deve existir isso sim é disposição para estar aos pés do Grande Eu Sou.

II. BUSCAI AO SENHOR
É muito comum que as pessoas se voltem para Deus nos momentos difíceis, de angustia e de sofrimento, e nesses momentos é certo que nessa busca não temos por fundamento um encontro com Deus, mas sim a solução dos problemas ou do que ele pode fazer em nosso favor.

Uma coisa é certa: Tem que haver esforços para se deparar com o Senhor, pois Nele entendemos encontrar a paz, alegria, felicidade plena e a certeza de que ele não nos desampara.

Muitas vezes estamos cansados e desmotivados para procurar o Senhor, mas um passo para a Bíblica e uma pequena meditação nos levará a compreender a importância de se buscar a Deus, como Isaías fala no texto referido.

Um exemplo é uma fonte de água. Se estiver com sede, você a buscará mais intensamente, com desejo ardente de chegar ao local para matar a sede. Faça isso também na busca ao Senhor, tendo a Palavra de Deus como fonte inspirada.

É certo que muitas pessoas, às vezes, faz longas caminhas a procura de uma fonte de água viva enquanto conduzem essa mesma fonte debaixo de seus braços ou a deixa em cima de uma instante em sua residência.

III. BUSCAI O SENHOR ENQUANTO SE PODE ACHAR
Qual é o dia que o Senhor está acessível aos que o procuram? Não existe um dia específico. O Senhor Jesus está a nossa disposição 24 horas do dia, sem interrupção, pois, na sua condição divina, Ele assiste todos os moradores da terra e atende-os ao mesmo tempo.

Então, o dia para se buscar o Senhor é hoje. Não adie uma conversa franca, alegre e maravilhosamente com o nosso Deus. Ele vai te escutar e responder suas perguntas, mesmo sendo debaixo de conflitos ou de êxitos em seus projetos de vida.

Ele quer ser honrado por você!

Jr 29:13-14
“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração; eu serei achado de vós”

IV. INVOCAI-O ENQUANTO ESTÁ PERTO
Talvez você esteja passando por um momento difícil, sem saber o que fazer. Já tentou várias saídas e nenhuma porta foi aberta. Não se desespere. Ainda há uma esperança para você: Deus não desistiu de você nem vai lhe abandonar quando por Ele invocares.

Então, com essa certeza, não tenha medo nem pare diante dos obstáculos. Invoque o auxílio do Senhor, porque Ele está perto de você, atento ao seu clamor (Salmo 34:15).

V. CONCLUSÃO
Não tem como o homem viver uma vida menos sofredora (João 16:33) sem a participação do Deus – Todo Poderoso. Não podemos viver enganados, pensando que não encontraremos dificuldades nem grandes provações. O próprio Jesus disse que teríamos aflições, porém assegurando que teríamos esse auxílio do próprio Senhor.

Portanto, ainda hoje, busque esse Deus maravilhoso, começando pelas páginas da Bíblia, onde encontrarás as respostas que procuras. E busca viver uma comunhão concreta com Ele através do Espírito Santo.

sábado, 9 de abril de 2016

RESTAURADOS PELA COMUNHÃO COM DEUS

TEMA: COMUNHÃO TÍTULO: RESTAURADOS PELA COMUNHÃO COM DEUS INTRODUÇÃO Esta carta é escrita mais no estilo de um tratado, visto não conter nem saudação, nem conclusão. João, no segundo capítulo desta mesma carta, dirige-se a pais, a criancinhas e a moços, indicando que não se tratava duma carta pessoal a determinada pessoa. Visava, provavelmente, uma congregação ou várias congregações, e, na realidade, aplica-se à inteira associação dos que estão em união com Cristo nessas igrejas - 1 João 2:13-14.
VEJAMOS QUATRO FRUTOS DESSA COMUNHÃO
I. A MANIFESTAÇÃO DO VERBO – 1:1-4/JO 1: a) O verbo era Cristo: ele fez tudo
“Pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele” – Colossenses 1:16. b) Jesus veio ao mundo com a mais importante missão que Deus pode dá ao homem: Resgatar o perdido;
c) O homem que havia pecado contra Deus – Rm 3:23 -, agora tem a oportunidade de voltar a ter comunhão com Deus (Rm 6:23b “O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor”)
d) A cruz do calvário foi o meio pelo qual o Senhor pagou o alto preço pela nossa salvação. Na cruz ficaram minhas angústias Na cruz ficaram meus pecados Na cruz ficaram minhas imperfeições Na cruz ficou o meu orgulho Na cruz eu fui reconciliado com DEUS. 
e) Através da manifestação do verbo, que se fez carne e habitou entre nós, Jesus Cristo proporcionou a vida eterna a esse homem arrependido e regenerado pelo poder sobrenatural do Espírito Santo de Deus.
1. Essa vida eterna só pode ser obtida mediante a fé em Jesus Cristo e a comunhão com ele (vv. 2.6-7; 2:22-25).
II. A COMUNHÃO É SÓ PARA QUEM VIVE NA LUZ – V. 5-7 “Comunhão” (gr. Koinonia), literalmente significa “ter em comum”, e envolve compartilhar e participar. Os cristãos tem essa comunhão porque tem a fé cristã em comum (Tito 1:3-4 e 1 Co 1:9).
a) Testemunho dos apóstolos – v. 5 (At. 1:8); 1. Que Jesus Cristo veio em carne (4:2-3) 2. Que Jesus é o filho do Deus altíssimo 3. Que Jesus é o Messias rejeitado pelos judeus 4. Que Jesus veio salvar o pecador (Atos 4:12) 5. Que Jesus Cristo é a propiciação pelos nossos pecados (1 João 2:2) "Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propiciação pelos nossos pecados" (1 João 4:10).
b) “Em Deus não há trevas” – v. 5; Com essa expressão, João afirma de modo vigoroso que Deus é totalmente perfeito e nada existe no caráter de Deus que possa afetar a sua verdade e santidade (cf. Tg 1:17);
c) A mentira afasta o homem de Deus – v. 6. 1. A mentira foi a única paternidade que Deus atribui a satanás. 2. Satanás é o pai da mentira – João 8:44;
O que acontecia? Falsos mestres alegavam ser iluminados e supostamente declaravam ter comunhão com Cristo. Porém, não condizia com a realidade. O fato de andarem nas trevas refutava suas alegações e, consequentemente, demonstrava que eles não tinham a salvação genuína. A palavra “mentimos” no versículo 6b refere-se à comunhão que eles alegavam ter no verso 6a. 
d) A luz nos coloca em comunhão com a família, a igreja etc – v. 7 O cristão genuíno tem por hábito andar na luz (verdade e santidade) e não nas trevas (falsidade e pecado).
Seu modo de andar também resulta na purificação do pecado enquanto o Senhor continuamente perdoa seus filhos. Uma vez que aqueles que andam na luz compartilha o caráter de Deus eles habitualmente são caracterizados pela santidade de Deus (3 Jo 11), indicando sua verdadeira comunhão com ele (Tg 1:27). O cristão genuíno não anda em trevas, mas somente na luz (2 Co 6:14; Ef. 5:8) e a purificação do pecado ocorre continuamente – v. 9
III. QUATRO COISAS ACONTECEM A QUEM VIVE NA LUZ – 1:8-10 Todos nós pecamos, e aqueles que dizem que não pecam não têm a verdade, e fazem Deus parecer mentiroso (1Jo 1:8-10);
a) Conscientização de que somos pecadores – v. 8 e / Rm 3:23 b) Confissão de pecados – Pv 28:13 “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. c) Pecadores são perdoados – Isaías 43:13, 18-19 e 25 Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá? Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas.
Eis que faço uma coisa nova, agora sairá à luz; porventura não a percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo. Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro. Isaías 43:18-19 e 25 d) Em assim sendo, todas as maldades do homem serão purificadas. Quais as formas que Deus usa para nos purificar?
I- Purificação através da ÁGUA: “tudo o que não pode suporta o fogo fareis passar pela água” (v.23b). Os rituais de lavagem tinham ligação com o conceito de purificação (Marcos 7.4). Quando alguém pecava, imolava a um cordeiro, o queimava e depois lavava suas vestes, então estava purificado. Ninguém podia entrar na presença de Deus ou no templo sem se lavar (II Samuel 12.20).
A água molha, encharca e limpa, então pode simbolizar:
II- Purificação através do fogo: “tudo o que pode suportar o fogo fareis passar pelo fogo, para que fique limpo” (v.23). Muitas vezes a pessoa não aceita ser lavada pela água da Palavra, ou já passou pelas águas de tribulação, mas ainda existem coisas sujas no mais profundo do seu íntimo, que precisam sair, e então passa pelo fogo. O fundidor lava, mas se estiver fosco (qualquer coisa sem brilho e transparência) ele queima. O fogo queima, derrete, purifica e limpa, então pode simbolizar:
a) Fogo do ESPÍRITO SANTO: Todos devemos nos empenhar na luta contra o pecado (2:1); Deus proveu um sacrifício propiciatório pelos pecados, por meio de Jesus Cristo, a quem temos como ajudador junto ao Pai (2:1; 4:10);
Quando estamos na presença de Deus, estamos como no meio do fogo (Isaías 66.15-16). Moisés quando estava na presença de Deus, era avistado pelo povo somente o monte coberto de fogo (Êxodo 8.2-4). Deus é como “fogo consumidor” (Hebreus 12.29).
· A palavra de Deus é como fogo que purifica e queima todo mal e pecado: Deuteronômio 4.33.
· Quando ouvimos uma palavra que sentimos ir mais fundo do nosso coração e o sentimos arder, essa palavra é como fogo purificando o interior: Jeremias 23.29. · Quando passamos pelo fogo ouvindo a palavra de Deus, lembramos ou descobrimos erros e pecados. Isso é a escória aparecendo, então deixamos Deus tirar esta escória (sujeira) e ficamos puros. Quando nos expomos á palavra, estamos entrando no Crisol de Deus, (local onde o metal é aquecido e purificado): Malaquias 3.3. · A promessa do batismo “com o Espírito Santo e com fogo”: Mateus 3.11. · O Espírito Santo veio como “línguas como de fogo” sobre a cabeça dos cristãos, no Pentecostes: Atos 2.3.
DEUS QUER OS SEUS FILHOS PUROS E SEM MISTURA DO MUNDO! Por isso, Deus nos faz ouvir sua palavra, para aquecer o nosso coração e tirar toda sujeira (I Coríntios 3.13 e 15).
IV - DEUS É JUSTO – V. 19 a) Deus é fiel (Sl 103:13, 17-18) Mas Deus não tem compromisso com infiéis
1. O COMPROMISSO COM DEUS EXIGE RENÚNCIA. Isso demonstra que o compromisso com Deus exige renúncia, devemos abrir mão de muitas coisas (renúncia do Eu, renúncia do pecado, renúncia do orgulho, da soberba, por exemplo) "Se alguém vem a mim e não aborrece a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs e ainda a sua própria vida, não pode ser meu discípulo. E qualquer que não tomar a sua cruz e vier após mim não pode ser meu discípulo" (Lc 14:26,27).
2. O COMPROMISSO COM DEUS EXIGE DISCIPLINA. Disciplina da oração (Lc 18:1), Disciplina na meditação da palavra, Disciplina da consagração, Disciplina no enchimento do Espírito Santo (Ef 5:18), Disciplina na comunhão com o corpo de Cristo (a igreja) – Rm 12:1-12; disciplina na obediência à liderança constituída por Deus.
3. O COMPROMISSO COM DEUS EXIGE PERSEVERANÇA. 3.1. Precisamos vencer o cansaço, 3.2 - vencer o desânimo, 3.3 - vencer a comodidade, 3.4 - vencer Os falsos sentimentos, 3.5 - vencer A falsa espiritualidade, 3.6 - vencer As condições adversas.
4. O QUE DETERMINA O NOSSO COMPROMISSO COM DEUS. * O nosso amor a Jesus (Jo 15:13); * O nosso desejo de exercitar os dons que recebemos, * A consciência do nosso chamado (Jo 15:1-4, 16; Mt 28:19,20).
b) Deus é justo
Deus é a minha justiça. Por mais que o diabo se levante contra mim, usando, inclusive pessoas do meio evangélico para nos entristecer, não podemos desanimar, pois o nosso Deus é fiel e justo. E vela pelo cumprimento da sua palavra. CONCLUSÃO
Portanto, ninguém poderá alcançar a vida eterna em Cristo sem comunhão com Ele, o Pai e o Espírito Santo. 
Essa comunhão é um privilégio dos que aceitam o sacrifício de Cristo na cruz e entrega-lhes a vida, independente do que venha pela frente, haja vista ser Deus o nosso protetor.
Que vivamos na luz – Jesus Cristo -, conforme nos orienta a palavra de Deus, que purifica, regenera, santifica e dá a esperança de dias melhores – espiritual e materialmente -, na vida dos Filhos do Altíssimo.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

PROSPERIDADE PARA O POVO DE DEUS

Texto: 3ª João 1-8
INTRODUÇÃO
O tempo em que vivemos é conhecido como pós-moderno. Neste tempo ou na cultura pós-moderna, a ênfase está na aquisição, no consumismo, na prosperidade.
Muitos pensam que serão prósperos e satisfarão as necessidades da alma adquirindo e consumindo bens – e infelizmente isso também tem acontecido em algumas igrejas.
Nesta pequena carta que João escreveu a Gaio, encontramos uma boa explicação da verdadeira prosperidade, ou seja, aquela que agrada a Deus.
No texto em destaque encontramos cinco explicações importantes na vida do servo de Deus
 I. PROSPERIDADE EM TUDO – v. 2
Para prosperarmos, precisamos seguir a orientação que é nos dada pela palavra de Deus.
a)) Relacionamento com Deus
1. Leitura, estudo e meditação
2. Vida de oração
3.  Consagração ao Senhor
 b) Conhecimento de sua palavra:
         1. Edificação da própria alma
         2. Testemunhar da verdade de Cristo
         3. Evangelizar o pecador
         4. Exaltar o Senhor
 II. ANDAR NA VERDADE – vs. 3-4
a)   Andar na verdade significa estar sob a orientação do Espírito Santo em tudo que faz
b)  Andar na verdade é uma das caraterísticas do Servo de Deus
c)    Andar na verdade é expressar em palavras o caráter cristão que vive dentro de você.
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. João 17:17
III. FIDELIDADE DIANTE DA IGREJA – v. 5
a)   Fidelidade é ser transparente em tudo que faz na Obra do Senhor
b)  Fidelidade é cumprir seus deveres e obrigações na Casa de Deus e diante da igreja sem esperar a recompensa do homem
IV. AMOR À OBRA DO SENHOR – V. 6
a)   Antes de amar à Obra do Senhor, precisamos amar o dono da Obra – Mateus 22:37-40
"Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento'. Este é o primeiro e maior mandamento. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas".
 b)  Amor à obra do Senhor é fazer a vontade de Deus e não de outrem
V. HOSPEDAR SERVOS DE DEUS – Vs 6b-8
O apóstolo Paulo disse, ao escrever sua carta a Tito, capitulo 1, verso 7:
“Aquele que tem a responsabilidade do trabalho de Deus, como bispo, deve ser um homem que não possa ser culpado de nada. Não deve ser orgulhoso, nem ter mau gênio, não deve ser chegado ao vinho, nem violento, nem ganancioso”
a) O obreiro deve estar disposto a hospedar pessoas na sua casa e deve amar o bem. Deve ser prudente, justo, dedicado a Deus e disciplinado.
b) Ele também deve manter-se firme na mensagem que merece confiança e que está de acordo com a doutrina. Assim ele poderá animar os outros com o verdadeiro ensinamento e também mostrar o erro dos que são contra esse ensinamento.
CONCLUSÃO
Portanto, irmãos, podemos relacionar a prosperidade material e física à prosperidade espiritual da seguinte forma: Quando nossa alma está bem alimentada por Deus é que temos condições de prosperar com proveito também em outras áreas da vida.
Se não for assim, a prosperidade material, física e familiar pode induzi-lo à idolatria e a outros males.
Siga o exemplo de Gaio e busque a prosperidade espiritual, crescendo a cada dia em seu relacionamento com Deus e no conhecimento de sua palavra;
A própria palavra nos conforta: 
Bendito seja o Senhor, o teu Deus, que se agra­dou de ti e te colocou no trono dele para reinar pelo Senhor, pelo teu Deus. Por causa do amor de teu Deus para com Israel e do seu desejo de preservá-lo para sempre, ele te fez rei, para man­ter a justiça e a retidão". 2 Crônicas 9:8